Camiranga é fita-azul da Buenos Aires – Punta

O veleiro Camiranga, do Veleiros do Sul, foi o fita azul da Regata Buenos Aires – Punta del Este no Circuito Atlântico Sul Rolex Cup 2017. O Soto 65 do comandante Eduardo Plass cruzou a linha de chegada em Punta neste domingo às 06h49min. No momento da sua chegada as condições de vento eram de NE, com cerca de 8 nós de intensidade.

O Camiranga, que corre na ORC Internacional, não conseguiu bater o recorde em tempo real Regata Buenos Aires – Punta del Este ao fazer a regata de 167 milhas em 18h49min. Ele igualou a mesma marca de Fortuna III, de Cesar Recalde, da Armada Argentina, no circuito doAtlântico Sul Rolex Cup 2005. O registro em tempo real permanece nas mãos de Lola, de Alberto Roemmers com 18h06min51s. Os integrantes do time do VDS na tripulação de 14 velejadores do Camiranga, estavam os irmãos Eduardo e Renato Plass, Samuel Albrecht, César Augusto Streppel, Gustavo Thiesen e Alexandre Rosa,

O segundo barco a chegar em Punta foi outro brasileiro, o Soto 40 Pajero, de Eduardo Souza Ramos às 11h04min56s.O Circuito Atlântico Sul Rolex Cup 2017 segue nesta segunda-feira com o circuito em Punta del Este com as regatas de percurso médio e barlasota. O Crioula Sailing Team, do comandante Eduardo Plass competirá em outro barco, o Soto 40 Crioula 29, a partir de terça-feira.

Confira abaixo o relato da diretora financeira da ABVO Chris Frediani, que está velejando a bordo do Ventaneiro:

“Primeira regata Buenos Aires – Punta del Este. O Ventaneiro terminou em terceiro lugar da IRC dentre 8 participantes.
A largada foi de ventos fracos – 10 nós, que no decorrer da tarde e da noite aumentou para 18 nós. O Rio de La Plata necessita de cuidado na navegação, devido à grande quantidade de bancos de areia, boias sem iluminação, cascos soçobrados e perigos isolados.
De noite, a lua cheia nos brindou quando rumávamos para a costa uruguaia.
Céu claro e estrelado na casa dos 18 graus. Infelizmente tivemos um contratempo: Encalhamos em um banco de areia que havia se deslocado na carta. Com isso, perdemos uns 15 minutos desde o momento da desaceleração até a volta à regata. Apesar do vento nos jogar para fora do banco, a corrente de 2 nós naquela área nos empurrava de volta ao banco. Situação essa que nos deixou mais atentos ao ecobatímetro e ao visual de superfície.
Amei a regata e o clima à bordo. Tripulação show!”

Confira os resultados completos em: http://bit.ly/2jrpRCu