Regata Volta à Ilha é o maior desafio na decisão da Copa Swift Sport

O Yacht Club de Ilhabela e a Comissão de Regatas divulgam o aviso para a etapa decisiva do Circuito Ilhabela de vela oceânica, em 28 e 29/11, 5 e 6/12

 

 

São Paulo (SP) – A divulgação do Aviso de Regata (AR) indica aos velejadores que as provas decisivas de 2015 da Copa Swift Sport estão próximas. No último fim de semana de novembro e no primeiro de dezembro o Yacht Club de Ilhabela (YCI) vai receber cerca de 40 embarcações para a quarta e última etapa da temporada de um dos mais importantes circuitos de vela oceânica do País. A maior atração será a Regata Volta à Ilha – Sir Peter Blake, em homenagem ao navegador neozelandês, campeão da America’s Cup e que acompanhou a primeira edição da prova no YCI.

 

 

O recorde da regata foi estabelecido em 2014 pelo barco Montecristo, de 52 pés. A tripulação do comandante Julio Cechetto percorreu 47 milhas (84 km) em 6h05m12, impulsionada pela entrada de uma frente fria. O recorde da regata é relativo porque o percurso pode ser definido no sentido horário ou anti-horário, dependendo da direção do vento, o que altera a distância da prova. De qualquer forma, o tempo do Montecristo passa a ser referência e desafio para as demais embarcações de comprimento superior a 30 pés (nove metros).   

 

 

“A última etapa do ano costuma ser a mais emocionante na raia devido à emoção da briga pelo título e também a mais divertida fora da água pelo espírito de confraternização e a festa de encerramento que sempre contagia as tripulações. A chegada do AR (anexo) acentua a expectativa dos velejadores”, afirma o diretor da Comissão de Regata (CR), Cuca Sodré, responsável técnico pelo campeonato que neste ano completará a 15ª edição.

 

 

Ao longo da temporada, o equilíbrio predominou na maioria das classes. Considerando-se os descartes, a RGS Geral tem liderança do Asbar Total Balance, com dez pontos perdidos e seis primeiros lugares após 14 regatas. O Inaê Transbrasa é o segundo com 13 pontos enquanto o Montecristo soma 25 pontos na terceira colocação. O Asbar lidera também a divisão “B” da RGS. O Inaê é o primeiro na “A” e o Brazuca está à frente na “C”. Na RGS Cruiser, o BL3 segue em primeiro com oito pontos. Jambock perdeu 11 pontos em 14 regatas e Cocoon soma 19.

 

 

O barco Porsche, de Marcos Cesar Pereira, domina a classe C30 com a regularidade de 11 vitórias em 21 regatas. São 21 pontos perdidos nas três primeiras etapas, contra 28 do Cabalo Loco e 32 do +Realizado. A classe HPE 30 estreou na terceira etapa com nove provas e tem liderança do Tahiti Nui que obteve quatro vitórias e soma 13 pontos. Capatosta e HPE #04 vêm a seguir com 19 pontos perdidos, cada. Os velejadores olímpicos Jorge Zarif e Martine Grael conduziram o HPE #04 em setembro.

 

 

Entre as classes inscritas na competição, a HPE 25 é uma exceção. O Ginga, de Ilhabela, é o virtual campeão, após 13 vitórias em 25 regatas corridas no Canal de São Sebastião. Com os descartes, o barco do comandante Breno Chvaicer soma 29 pontos perdidos, contra 63 do segundo colocado, Fit to Fly, e 65 do Suzuki Bond Girl, o terceiro.    

 

 

Inscrições – Serão feitas na secretaria do evento no YCI em 27 e 28 de novembro, sendo no dia 27, das 18h00 às 21h00h e no dia 28, das 08h00 às 11h30 na Secretaria do Evento ao ao valor de R$ 85,00 por tripulante, exceto tripulante-mirim, isento de taxa de inscrição. A organização e realização são do Yacht Club de Ilhabela, patrocínio da SUZUKI VEÍCULOS, com apoios da Ser Glass, North Sails, Revista Mariner, Ancoradouro, Antena 1, SailStation e Prefeitura Municipal de Ilhabela.

 

 

Pontuação após três etapas (com descartes)

 

RGS Geral

1 – Asbar Total Balance (Sérgio Keplacz) – 28 (18) = 10 pp

2 – Inaê Transbrasa (Bayard Filho) – 53 (40) = 13 pp

3 – Montecristo (Júlio Cechetto) – 95 (70) = 25 pp

 

RGS Cruiser

1 – BL3 (Clauberto Andrade) – 25 (13) = 8 pp

2 – Jambock (Marco Ongarelli) – 34 (23) = 11 pp

3 – Coccoon (Luiz Caggiano) – 39 (20) = 19 pp

 

C30

1 – Porsche (Marcos Cesar Pereira) – 45 (24) = 21 pp

2 – Caballo Loco (Mauro Dottori) – 56 (28) = 28 pp

3 – +Realizado (José Luis Apud) – 58 (26) = 32 pp

 

HPE 25

1 – Ginga (Breno Chvaicer) – 68 (39) = 29 pp

2 – Fit to Fly (Eduardo Mangabeira) – 114 (51) = 63 pp

3 – Suzuki Bond Girl (Rique Vanderley) – 115 (50) = 65 pp  

  

HPE 30

1 – Tahiti Nui (Eduardo Souza Ramos) – 17 (4) = 13 pp

2 – Capatosta (Marcelo Bellotti) – 23 (4) = 19 pp

3 – HPE #04 (Jorge Zarif e Martine Grael) – 24 (5) = 19 pp